Braga, cidade de sons

[pullquote align=”right” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]Considerada a terceira cidade de Portugal[/pullquote]

Na cidade moram os sons inconfundíveis dos sinos das igrejas, do Cavaquinho e da Braguesa, mas também dos Zés Pereira, dos Ranchos Folclóricos e das Concertinas.

O som das matracas dos Farricocos e da Dança do Rei David com a sua “lira” e violino, são referências incontornáveis na cidade.

[pullquote align=”left” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]Os sons constituem um elemento agregador da cultura da cidade.[/pullquote]

As suas escolas de música (Universidade do Minho, Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, Casa da Música de Braga) modernizam a memória coletiva e participam no esforço de valorização da cidade.

O Museu dos Cordofones, mas também, os fabricantes de instrumentos musicais, dão vida à economia da Cidade de Sons.

Braga Cidade de Sons porque os sons constituem um fator diferenciador que promove o orgulho dos seus habitantes e deleita quem a visita.

BRAGA

Braga

[pullquote align=”right” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]Braga: eleita em 2012 como a Capital Europeia da Juventude e Capital Ibero-Americana da Juventude no ano 2016[/pullquote]

Considerada a terceira cidade de Portugal, é uma referência no empreendedorismo e inovação, destacando-se nos investimentos visionários e acolhedora de ideias jovens e inspiradoras.

Eleita em 2012 como a Capital Europeia da Juventude, é um cidade de cultura e tradições onde se destacam a indústria tecnológica e o ensino Universitário.

Braga foi também a cidade escolhida para ser Capital Ibero-Americana da Juventude para o ano de 2016. A distinção foi atribuída pela Organização Ibero-Americana da Juventude, que destaca a contribuição do município para o “desenvolvimento de estratégias e de políticas públicas destinadas a garantir os direitos dos jovens” e na “consolidação do movimento associativo”.

Elegemos a cidade de Braga, como o local de acolhimento do FICIS’15, uma cidade inspiradora, inovadora e com uma agenda estratégica direcionada para as diretivas Europeias e o desenvolvimento das SmartCities.


FICIS ’16